Quarta-feira, 19 de Outubro de 2011
Ambrizete - A Patrulha

Era noite cerrada e a "patrulha" iniciou o circuito em Ambrizete.O unimog ronronava e torcia-se todo nas curvas com o nosso peso, já não recordo com quem ia.Passamos pela Av. Principal, (ver foto) visitámos a sanzala que estava sem luz e fomos a caminho do aeródromo.Deslocávamo-nos ao longo da "pista" por uma picada estreita.A luz do farolim dançava pelas copas das árvores e pelo intervalo do capim não muito alto.Viam-se alguns olhos brilhantes de "tudo" o que desconheciamos.O que seria?Reduziamos o andamento.Eram outros que nos espreitavam por interrompermos a sua caçada ou a sua fuga.Quando reduziamos a marcha a poeira tentava alcançar a nossa viatura, algo de filmes de fantasmas.Os nossos sentidos, como novatos que eramos, estavam em alerta máximo.De repente tudo se modificou....senti-me projectado pelo ar, aterrei no meio do capim e de montes de terra e caiu o Céu em cima de mim.Passou-me tudo pela cabeça. MORRI.Em breves instantes comecei a sentir o corpo e o "céu" afinal era outro camarada que tinha caido em cima de mim.A noite não permitia que se visse mas senti que outros se queixavam e a pouco e pouco lá nos fomos levantando pensando que alguem estaria ferido.O unimog dormia deitado, ronronando, com as rodas do lado direito entaladas no buraco que uma berliet tinha "patinado" após as chuvas.A nossa sorte tinha sido ditada e desta escapámos.O nosso ferimento maior foi o susto.....Gostaria de rever com os camaradas que estiveram comigo.


Sebastião Pires



publicado por bcac3869 às 20:03
link do post | favorito

links
links
blogs SAPO