Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011
Ambrizete - Os Galões as divisas e a trave

Ambrizete, Angola, Setembro de 1972

CCS, Bcaç. 3869 

Os galões, as divisas e a trave!

Saía do edifício do Comando e Operações o nosso 2º Comandante, um Tenente Coronel, alto, magro, farda impecável, boné, óculos e com cara de poucos amigos.

Após alguns passos cruzava com um furriel maçarico, em farda de trabalho, de sargento de dia, e que, com uma continência, se preparava para passar despercebido...

Óh, nosso furriel, faz favor!

Acagaçado e intrigado saiu um "Faz favor meu comandante".

" Quer saber que vinha eu muito descansado a sair daquela porta quando de repente caiu à minha frente uma trave que quase me ia matando..."

O furriel ficou admirado com a descrição, e, após a breve interpelação do seu superior foi ver o que de facto se teria passado de tão grave, não podendo deixar de pensar " Estou feito"...

Investigando veio a saber que:

Um nosso amigo cabo escriturário tinha deitado para o átrio do comando um fósforo no momento em que o dito 2º comandante ia a passar , daí a "dita trave".

Bolas! que perigo...

Cortez, Raul, 19 Setembro 2004

Nota da Redacção: O 2º Comandante era Major (Ernesto Cunha)



publicado por bcac3869 às 15:00
link do post | favorito

links
links
blogs SAPO