Quinta-feira, 18 de Agosto de 2011
Nambuangongo - O Silêncio que Cresce

Naquela tarde " Os Guerreiros" limpavam armas ( Cucas e Nocais) sentados junto ao caminho, na área da messe de sargentos.
"Os Guerreiros" descansavam o fundo das costas naquelas cadeiras de madeira de pipos.
Eram muitos, " Os Guerreiros"....
Lado a lado contemplavam , possivelmente o horizonte da " Beira Baixa".
As estórias eram seguidas e as risadas ou discussões também.
A pouco e pouco o silêncio começou a aumentar até que se tornou ensurdecedor.
Nem um mosquito.... nem um ladrar...ou qualquer espirro de gafanhoto....
No já referido caminho e vinda dos lados da " Madureira" a figura deslocava-se muito lentamente.
Uma velhinha, muito velhinha, seca, deslocava-se da direita para a esquerda, à nossa frente, no caminho, agarrada ao seu cajado.
Quando chegou, mais ou menos a meio do nosso estendal do "descanso do Guerreiro", vagarosamente parou.
Virou-se para nós com uns olhos de velhinha e num sorriso simples, exclamou...
" BOA TARDE GERAR...MENTE"

Ficamos mudos e a pouco e pouco lá fomos respondendo ... Boa tarde... boa tarde.... boa tarde ...

A velhinha continuou para a Sanzala e o silêncio voltou a baixar...........

Sebastião Pires

Crónicas de Nambo 32 anos depois



publicado por bcac3869 às 00:49
link do post | favorito

links
links
blogs SAPO